Buscar em:

SMG Laticínios Ltda

BLOG




VOCÊ CONHECE TODAS AS FUNCIONALIDADES DO NOSSO QUEIJO COLONIAL?
23/05/2019 - Fique por Dentro


O queijo colonial é para nós aqui do sul do país, assim como o queijo minas é para o mineiro. É um queijo típico, um queijo regional, que representa uma tradição, resgata uma história e um costume que foi repassado entre as gerações. A produção de queijo colonial está associada à história da colonização da região Sul do Brasil por imigrantes, em sua maioria descendentes de italianos, alemães e poloneses - os “colonos”. Aí a sua denominação “colonial”, além de estar relacionada ao fato deste queijo, tradicionalmente ser produzido nos estabelecimentos rurais pelos pequenos agricultores familiares.
De maneira original sua produção era feita a partir de leite cru bovino. Atualmente através de novas tecnologias de fabricação, utiliza-se leite pasteurizado para eliminar possíveis problemas de contaminação e fermentos apropriados que irão conferir a este saboroso queijo suas características de textura, sabor e elasticidade. Por ser tratar de um produto regional e não possuir um regulamento técnico específico, cada indústria utiliza de algumas técnicas próprias para conferir a este produto as características desejadas de acordo com o seu mercado.

O Queijo Colonial NOSTRO, foi o primeiro queijo produzido pela nossa empresa. E a marca "NOSTRO", que significa “NOSSO” em italiano, retrata exatamente o desejo de seus sócios fundadores, que na época eram todos produtores de leite, a terem um queijo com características próprias, portanto: o “nosso queijo”!
Nosso queijo colonial é considerado um queijo de média umidade ( 40 - 43%), com teor de gordura entre 34 - 36%, proteína próximo a 22% e ph entre 5,3 e 5,5. Possui sabor láctico suave a medianamente picante, de coloração amarelo pálido, sem casca, com massa fechada apresentando algumas olhaduras irregulares. Algumas características são desejadas para que o queijo colonial tenha boas propriedades funcionais como: facilidade de processamento (uso de ralador ou picador), fatiabilidade, derretimento, elasticidade e entre outras, dependendo do tipo de uso final que se deseja fazer do mesmo.



Como a maturação influencia nas funcionalidades do queijo



A maturação consiste em uma série de processos físicos, bioquímicos e microbiológicos que ocorrem em todos os queijos, exceto aqueles que são consumidos frescos. Estes processos alteram a composição química dos queijos, principalmente no que tange a seu conteúdo em açúcares, proteínas e lipídeos. Como o queijo colonial Nostro é embalado a partir de 5 dias de maturação, a barreira da embalagem não permite que ocorra mais perda de umidade e formação de casca, porém isso possibilita maior estabilização do produto, distribuição do sal da casca para o centro e favorece a proteólise (quebra parcial das proteínas do leite) que promove a elasticidade e o derretimento do queijo.
Nestas condições, quanto mais maturado for o colonial, melhor será seu derretimento. Embora exista um limite para isto, já que um colonial com mais de 4 semanas de armazenamento pode ter excelente derretimento mas sua elasticidade pode ser prejudicada em função exatamente da diminuição de proteínas intactas e aumento de proteínas degradadas. Assim, o queijo colonial mais velho, ficará com um sabor mais acentuado, terá uma textura mais cremosa, porém, uma dificuldade maior de processamento (gruda com mais facilidade) e dificilmente irá fatiar.


Qual a função do queijo no pão de queijo?



O queijo é o responsável pelo sabor e estrutura do pão de queijo. As proteínas do queijo é que dão a textura típica do produto: uniforme (sem ‘oco’) e elástica. A partir disso, relacionamos algumas características de um queijo ideal para pão de queijo:
1 - O queijo não deve ser muito maturado, velho, porque nesse caso as proteínas já não são íntegras, foram quebradas por enzimas e já não cumprem de forma perfeita a função de estruturar a massa;
2 - O queijo não deve ter muita umidade;
3 - O sabor deve ser marcante e agradável, para que o sabor de polvilho não predomine, e livre de resíduos amargos.
Desta forma, o queijo colonial Nostro jovem, entre 10 a 15 dias de maturação atende os requisitos para um bom pão de queijo, proporcionando o sabor e textura desejada. Se preferir, para que se tenha uma boa relação custo x benefício, pode se usar frações ou misturas com queijo parmesão mais marcante para acentuar mais o sabor.

Imagem Ilustrativa


Como observamos, dependendo da aplicação ou do produto final desejado, devemos considerar alguns fatores para melhor compreender como o queijo irá se comportar e otimizar o seu uso. Possuímos experiências em diversas aplicações de uso na indústria de salgados, padarias, lancherias e restaurantes, com a garantia de um produto final sensacional. Principais aplicações:
* Pão de queijo
* Pastéis
* Salgados diversos, esfiras, calzones, risoles...
* Lanches, x-burguer, bauru...
* Lasanhas, tortas salgadas, arroz de forno...


Conforme avaliamos, o queijo colonial Nostro possui uma imensa versatilidade, podendo se adaptar a diversas aplicações tanto para uso doméstico como para uso industrial. Consegue aliar sabor e funcionalidade, proporcionado aos usuários e consumidores uma ótima experiência. Para a linha industrial, temos a disposição a peça de queijo colonial em formato retangular de aproximadamente 2 kg, o que facilita a acomodação do produto e também o seu processamento. Oferecemos ainda a opção do queijo colonial fatiado interfoliado e ralado.

Veja todos os nossos tipos de queijo colonial clicando aqui: www.smglaticinios....queijo-colonial


"O Queijo NOSTRO de cada dia!"


Fonte: Escrito por Saulo Felipe Sandri


VEJA TAMBÉM